Saques de até R$ 1.023 no Pis-Pasep pelo WhatsApp é golpe. Circula entre usuários de aplicativos a falsa mensagem de que quem trabalhou com carteira assinada de 1995 a 2018 tem direito ao saque de um abono salarial de R$ 1.023. O boato ainda se aproveita da reforma da Previdência — enviada ao Congresso Nacional no último dia 20 — para afirmar que quem não fizer a retirada até o dia 12 de março vai perder o direito ao pagamento.

O aviso sobre a falsa mensagem foi divulgado pela Secretaria Especial de Previdência e Trabalho, do Ministério da Economia, como uma alerta à população. Segundo a pasta, a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que trata da reforma da Previdência “só produzirá efeitos a partir de 2020, não tendo qualquer relação com a situação descrita”.

Vale ressaltar que, atualmente, o valor do abono do PIS/Pasep é de até R$ 998 (dependendo do número de meses trabalhados no ano-base de referência para o pagamento) e não de R$ 1.023. Este ano, o saque está sendo feito somente por quem trabalhou com carteira assinada em 2017 por, pelo menos, 30 dias, tendo recebido até dois salários mínimos. Portanto, não é para quem trabalhou de 1995 a 2018.

Além disso, a proposta de mudança no abono salarial do PIS/Pasep prevista na PEC da reforma da Previdência é de restringir esse pagamento a quem ganhou somente um salário mínimo no ano-base de referência. Mas isso ainda depende de tramitação e aprovação do Congresso Nacional para entrar em vigor.

A falsa mensagem leva o usuário a clicar num link que pode redirecioná-lo para um site fraudulento. Nesse tipo de golpe, conhecido como “phishing”, os criminosos tentam fisgar o internauta com uma oferta ou promessa atraente. Ao clicar nesse link, o consumidor pode ter seu computador ou celular infectado por um vírus ou um malware, que pode permitir o sequestro de seus dados.

Orientações

A orientação, neste caso, é apagar imediatamente a mensagem. Nunca informe dados pessoais a terceiros, já que essas informações podem ser utilizadas para fraudes.

Por meio de nota, a Secretaria Especial de Previdência e Trabalho reiterou “que todos os serviços oferecidos pela Previdência Social e pelo Trabalho, assim como eventuais valores a receber, quando realmente existentes, são comunicados oficialmente pelos órgãos públicos e disponibilizados de forma gratuita aos segurados”.

A pasta ainda destacou que não solicita dados pessoais de seus segurados por e-mail ou telefone.Tampouco faz qualquer tipo de cobrança para prestar atendimento.

“A recomendação é que não recorram a intermediários para entrar em contato com a Previdência e, em hipótese alguma, depositem qualquer quantia para ter direito a algum benefício”.

Cuidados a seguir

– Cuidado com um link desconhecido:pode ser malicioso e, assim que o usuário clica nele pode baixar um malware em seu dispositivo ou ser direcionado a uma página de phishing que coleta dados pessoais.

– Não repasse a mensagem a amigos ou grupos: isso potencializa o alcance do golpe.

– Desconfie de mensagens e anúncios de redes sociais:em caso de dúvida,entre em contato com os bancos envolvidos nos pagamentos dos abonos: Caixa Econômica Federal (que paga o PIS aos trabalhadores da iniciativa privada) e Banco do Brasil (que libera o Pasep aos servidores e aos empregados de empresas públicas).

– Instale uma solução de segurança em seu dispositivo: use, principalmente, um antivírus que tenha tecnologias integradas para evitar fraudes financeiras.

– Denuncie: caso tenha sido vítima de algum crime virtual, o cidadão deve dar imprimir a mensagem, bem como a janela completa com o endereço do link malicioso. O registro de ocorrência pode ser feito em qualquer delegacia do estado ou pelo serviço Delegacia On-line.

Fonte Jornal Extra

FAÇA UM COMENTÁRIO

Por favor, deixar cometário.
por favor, digite o seu nome