Caminhoneiros podem parar após decreto que limita circulação na BR-316 (Foto: Fernando Araújo/Diário do Pará)
Caminhoneiros autônomos afirmam que são prejudicados após o decreto, assinado no último dia 31 de janeiro (Foto: Fernando Araújo/Diário do Pará)

Caminhoneiros ameaçam paralisar as atividades após o decreto 15/2019, publicado no último dia 31 de janeiro pelo governador Helder Barbalho, que limita o horário de circulação de caminhões na rodovia BR-316.

O decreto proíbe a entrada e a circulação de veículos de transporte rodoviários de carga de até 5.500 kg (¾) articulados, pesados dos tipos reboque, semirreboque e múltiplo, com comprimento total acima de 14m, durante o período de 7h às 10h e de 17h às 21h, de segunda a sábado, nos dois sentidos da BR-316.

A categoria justifica que foi surpreendida e, consequentemente, prejudicada com a decisão, principalmente aqueles que trabalham como autônomos. Segundo o integrante da Comissão de Caminhoneiros Autônomos do Estado do Pará, Sebastião Martins, como forma de obedecer as recomendações, os trabalhadores optam por parar no acostamento ou em locais menos movimentados, mas que permitem parar.

Por outro lado, se no primeiro caso eles são multados, no segundo, correm o risco de serem assaltados. “Se não cancelarem o decreto, que nos dêem alternativas e segurança. Quem sabe um policiamento ou um local seguro onde possamos aguardar o horário com o caminhão. Ontem [7] mesmo um colega nosso teve os produtos roubados. Ele foi abordado, apontaram com uma arma na cabeça dele e levaram tudo”, relata.

Atualmente a Região Metropolitana de Belém (RMB) abriga mais de mil caminhoneiros, que circulam diariamente pelas rodovias movimentadas do Estado. “A gente não quer fechar nada, a gente quer dialogar e trabalhar. Chamaram os empresários, representantes dos transportes, mas não consultaram os autônomos”, alega Sebastião.

GREVE OU NÃO?

Um encontro entre os caminhoneiros está marcado para a tarde deste sábado (9) em frente ao Mangueirão, na rodovia Augusto Montenegro. Na ocasião, serão discutidas orientações para os próximos dias, se vão aguardar uma resposta dos responsáveis e, principalmente, se entram em greve ou não, podendo decidir pela interdição parcial da BR-316.

REQUALIFICAÇÃO

A medida adotada pelo governo foi justificada para as obras de requalificação da BR-316 e, assim, diminuir o transtorno causado à população que utiliza o perímetro diariamente.

A rodovia receberá uma serie de melhorias, com um projeto paisagístico completo. Além da extensão do BRT, com terminais até o município de Marituba, o projeto conta com a construção de duas ciclovias; uma área para circulação de pedestres, com 2,5 metros de largura; rampas de acessibilidade; construção de 13 passarelas; mais quatro túneis de acesso subterrâneo aos terminais do BRT; e o viaduto de Ananindeua, que vai permitir a ligação direta entre as áreas ao sul da BR, como os conjuntos Julia Seffer e Aurá, à Cidade Nova.

(DOL)

FAÇA UM COMENTÁRIO

Por favor, deixar cometário.
por favor, digite o seu nome