Por Aquiles Emir

AQUILES EMIR

PMDB e PT podem reeditar no Maranhão em 2018 a mesma aliança das eleições de 2002, 2006, 2010 e 2014. A sinalização foi dada nesta sexta-feira (15) por quatro das maiores lideranças peemedebistas no estado, o ex-presidente José Sarney, a ex-governadora Roseana Sarney e os senadores João Alberto e Edison Lobão, que participaram de um almoço de confraternização na casa de João Alberto, no bairro do Calhau, em São Luís.

O mais entusiasmado dos quatro é Edison Lobão, que foi ministro de Minas e Energia tanto de Lula quanto de Dilma Rousseff. Segundo ele, mesmo antes de ser presidente, Lula já contava com a simpatia dos peemedebistas do Maranhão, o que facilitou a aliança de 2002, quando Lula foi eleito presidente e José Reinaldo Tavares, governador, e isto se repetiu em 2006, com a reeleição de Lula e a candidatura de Roseana (derrotada por Jackson Lago); em 2010, na eleição de Dilma e reeleição de Roseana (que havia retornado ao Palácio dos Leões em 2009); e de 2014, na reeleição da ex-presidente Dilma e a candidatura de Lobão Filho (derrotado por Flávio Dino, do PCdoB).

Segundo Edison Lobão, ele e Lula conversam todas as semanas, enquanto que a aproximação com Sarney se mantém cada vez mais estreita, pois os dois se admiram e se respeitam mutuamente. Lobão, numa declaração enfática, disse que quer ser o senador do Lula no Maranhão.

Mais discreta, a ex-governadora Roseana Sarney disse que não descarta essa reedição da aliança e lembrou que o PT, todas as vezes que ganhou no Maranhão foi com o apoio do seu partido e particularmente do seu grupo político. Sobre o apoio ao ex-presidente, ela disse que nutre muita simpatia por ele e que vêm conversando constantemente e isto pode resultar numa nova coligação.

Resultado de imagem para Lula e Roseana
Em 2010, Washington Oliveira foi o vice de Roseana Sarney

Indagada se estaria disposta a ceder, novamente, a exemplo de 2010, a vaga de vice na sua chapa ao PT, ela disse que “precisamos conversar”. Na sua última eleição, Roseana tinha como vice o hoje conselheiro do Tribunal de Contas do Estado Washington Oliveira)

O ex-presidente Sarney disse que sua amizade com o ex-presidente Lula hoje extrapola o campo da política. Ele disse que desde 2002 os dois vêm se aproximando cada vez mais e espera que ele tenha pelo menos neutralidade na disputa do Maranhão, em reconhecimento ao que fizeram no passado.

O senador João Alberto, por vez, foi categórico em apostar na candidatura do ex-presidente petista, mesmo com as ameaças de uma condenação pela Justiça Federal, mas não garantiu ainda essa coligação, pois tudo vai ficar para 2018. “É muito cedo ainda para anunciar esse acordo”, disse ele, afirmando, no entanto, que gostaria muito que PT e PMDB voltassem a marchar unidos.

Fonte: maranhaohoje.com

Faça um comentário

FAÇA UM COMENTÁRIO

Por favor, deixar cometário.
por favor, digite o seu nome